Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Capítulo de livro elaborado por GT COVID-19 / UFAM / Coari / Médio Solimões
Início do conteúdo da página

Capítulo de livro elaborado por GT COVID-19 / UFAM / Coari / Médio Solimões

  • Publicado: Domingo, 30 de Agosto de 2020, 18h58
  • Última atualização em Sexta, 04 de Setembro de 2020, 11h16

O Grupo de Trabalho para Enfrentamento da COVID-19 em Coari e no Médio Solimões publicam capítulo de livro sobre a COVID-19 no Amazonas, dando enfoque aos municípios do interior e ao fenônemo da "interiorização" da doença no Estado.

Trata-se do capítulo 17 que tem como título: INTERIORIZAÇÃO DA COVID-19: ANÁLISE DA VARIAÇÃO DAS TAXAS DE INCIDÊNCIA NOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO AMAZONAS, BRASIL, publicado no livro “COVID-19 no Brasil: Os Múltiplos Olhares da Ciência para Compreensão e Formas de Enfrentamento", livro este que foi organizado pelo Prof. Luís Paulo Souza e Souza, partindo da ideia de que, para entender a pandemia e seus impactos reais e imaginários no Brasil, deve-se partir de uma perspectiva realista e contextualizada, buscando referências conceituais, metodológicas e práticas.

No artigo, os(as) autores(as) analisaram a evolução das taxas de incidência da COVID-19 nos municípios do interior do estado do Amazonas, no mês de maio de 2020. Os dados se referem aos registros de novos casos da COVID-19, selecionando duas datas de coleta e análise: 04 e 18 de maio de 2020. A partir dos registros, foram calculadas as taxas de incidência (padronizadas por 10.000 habitantes). Em seguida, construiu-se um ranque das taxas de incidência nos dias selecionados, além de calcular as variações das taxas - expressas em porcentagem.

Entre os achados, vale destacar que a variação da taxa de incidência no interior do Amazonas foi 73,5% maior que a de Manaus no período analisado. Tais resultados reforçam o fenômeno da interiorização da COVID-19 no Brasil. Ademais, emitem um sinal de alerta, pois os municípios do interior do Amazonas dispõem de condições que os colocam em situações de maior vulnerabilidade, tais como ausência de leitos hospitalares para tratamentos intensivos, vazios assistenciais, déficits na disponibilidade de profissionais de saúde e barreiras de acesso e geográficas. Deve-se ter atenção especial às cidades do interior, pois as condições que estas apresentam podem ser fatores agravantes para aumento dos impactos negativos gerados pela COVID-19 nestas regiões.

O link de acesso ao e-book é:  https://www.atenaeditora.com.br/post-ebook/3418.

registrado em:
Fim do conteúdo da página